Gestão do Custo do Ciclo de Vida ou Gestão do Investimento do Ciclo de Vida?

A gestão de Activos Físicos assume cada vez maior ênfase, designadamente depois da publicação das normas ISO 5500X (ISO 55000, ISO 55001, ISO 55002) na sequência das PAS 55.

De acordo com a norma ISO 55000, a vida útil de um activo físico é o período que vai da “criação do Activo até ao final da sua vida", correspondendo o Ciclo de Vida aos "estágios referentes à gestão de um Activo". Woodward (1997) refere que “o Custo do Ciclo de Vida de um item é a soma de todos os fundos gastos no suporte do item, desde a sua concepção e fabricação, durante a sua operação, até ao final de sua vida útil”. Para isso, este autor acrescenta que: “o Custo do Ciclo de Vida visa optimizar a relação custo / benefício da propriedade dos Activos Físicos, levando em consideração todos os factores de custo relacionados com o Activo durante sua vida operacional”. O autor discretiza as variáveis ??do Custo do Ciclo de Vida (LCC) da seguinte forma: custos iniciais de capital; vida do Activo; taxas de juro; custos de operação e manutenção; Custo de eliminação; informação e feedback; análise de incerteza e sensibilidade.

De acordo com Goh e Sun (2016), "a história da aplicação do Life Cycle Cost começou no Reino Unido no final dos anos 50". Este artigo centra-se nos edifícios, mas pode ser estendido a outros tipos de Activos Físicos. Goh e Sun concluem que “são necessárias grandes melhorias para tornar o LCC comparável aos métodos comuns de avaliação económica (por exemplo: relação custo-benefício, benefícios líquidos; e relação economia-investimento, para análises de investimento de capital relacionadas com edifícios)”.

De acordo com Lindholm e Suomala (2002), o " LCC é uma maneira de pensar em que é dada atenção aos custos totais que ocorrem durante todo o ciclo de vida de um produto". Os autores dizem que, "além da estimativa de custos futuros, um recurso essencial do LCC é a monitorização dos custos durante o ciclo de vida de um produto" e que "a soma dos custos do ciclo de vida de muitos produtos geralmente excede substancialmente o custo inicial de aquisição". (...)

Em colaboração com Hugo Raposo, Centre for Mechanical Engineering, Materials and Processes (CEMMPRE)

Artigo completo na TecnoHospital nº99, maio/jun 2020

José Torres Farinha

CEMMPRE (Centro de Engenharia Mecânica, Materiais e Processos, Universidade de Coimbra) e ISEC (Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, Instituto Politécnico de Coimbra)

Se quiser colocar alguma questão, envie-me um email para tfarinha@isec.pt

Newsletter TecnoHospital

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão da Saúde.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.