Viana do Castelo vai ter um novo centro de saúde

Foi aprovado o protocolo entre a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) e a Câmara Municipal de Viana do Castelo que visa a construção do novo centro de saúde da freguesia da Meadela.

A construção desta nova unidade está orçada em mais de 1,5 milhões de euros e deverá começar até ao final do primeiro semestre de 2021.

De acordo com protocolo aprovado em reunião camarária, a ULSAM fica responsável pela elaboração do projeto e a autarquia pela execução da empreitada da nova unidade de Cuidados de Saúde Primários.

De acordo com o vereador com o pelouro da promoção da saúde Ricardo Rego, “será uma unidade de saúde de última geração, dotada de todos os funcionalismos necessários para responder aos condicionalismos da nova realidade causada pela pandemia da Covid-19, servindo com toda a segurança a população da Meadela e das freguesias limítrofes”.

O investimento vai ser candidatado a fundos comunitários, "sendo que o município assume a componente nacional e os arranjos exteriores".

"É um equipamento há muito reclamado pela população que agora vai ser uma realidade", sublinhou Ricardo Rego.

A abertura do concurso público está prevista para o segundo trimestre de 2021 e, “se todos os trâmites legais correrem como o previsto, o início da obra antes do próximo verão”.

A atual extensão de saúde da Meadela funciona num espaço pertencente à Casa do Povo, “edifício desqualificado e sem as desejáveis condições de funcionamento, nomeadamente ao nível das acessibilidades a pessoas com mobilidade reduzida, para um equipamento de saúde moderno, bem como à crescente densidade populacional, a qual se tem consolidado nas últimas décadas”.

A construção da Unidade de Saúde Familiar da Meadela “é considerada absolutamente estruturante e indispensável à rede de equipamentos de saúde no concelho”.

Newsletter TecnoHospital

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia e Gestão da Saúde.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.